Que imagem você projeta para seus alunos?

Por Annemarie Richter –

 

No ano passado, deixei um desafio para vocês: olhar para o espelho e enxergar o que há lá no fundo de sua alma.

Para quem ainda não fez, ainda há tempo. Aliás, sempre há tempo para iniciarmos um novo hábito e uma nova história. Pode ser neste instante, pode ser após a leitura desse texto, pode ser hoje à noite, amanhã. Enfim, pode ser o dia que você se posicionar sobre a importância e impacto que essa mudança tem em sua vida.

Voltando para o desafio, o olhar para o espelho, para nós mesmos, você já parou pra pensar em qual imagem está projetando para seus alunos? Nós professores funcionamos como espelho para muitos deles e, diante de tantos desafios, adversidades e mudanças constantes do mundo, é tempo de olhar para o espelho, no fundo dos nossos olhos em um processo sozinho, em que a gente se enxerga. A gente com a gente mesmo. Identificar nossos sentimentos, conviver com eles e aceita-los.

E é sobre os sentimentos que iniciamos nossa conversa de 2018. Papo de ano novo, mas que deveria ser pauta da conversa de pais e filhos desde pequeno, alunos e professores desde a fase inicial até a conclusão dos estudos. Conversa que nos enriquece em qualquer fase da vida. Enriquece de tolerância e respeito ao próximo.

Nós sabemos que temos cinco emoções distintas – alegria, tristeza, medo, nojo e raiva – e mais de 400 sentimentos. Alguns sinônimos de outros, mas que no montante, chegam a esse número. E já parou pra pensar se consegue identificar cada um deles em cada situação que passa? Lembre-se de uma coisa: emoção é igual água de infiltração: aparece. Seja no olhar, seja no tom de voz. E mais: se há um sentimento que surge o tempo todo, algo não está indo bem, está mal resolvido.

E com esse lembrete, que sentimento e emoção você tem diante de cada momento junto aos seus alunos? Para cada tipo de conflito, seja indisciplina, incivilidade, desobediência, o que te desperta? Consegue reconhecer ? Aliás, esse é um dos exercícios que o Ponte Para Paz propõe ao longo das aulas.

A conversa sobre isso é longa, não vou esgota-la por aqui, mas posso te adiantar um exercício simples:  que acha de se sentar à mesa, em um jantar como sempre sonhou, e seus convidados que sentarão junto a você, serão seus sentimentos. Quem convidaria para sentar ao seu lado?

 

Uma das minhas missões neste ano é ajudar você a perceber seus sentimentos e emoções, convida-los a estarem à sua mesa para reconhece-los quando aparecerem e tirar de cada um o que há de melhor para sua vida.

Bora pensar?

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *